Agora são Horas e Minutos - Este blog está sendo encerrado! Pesquise os temas que tiver interesse ainda aqui mas visite-nos no novo blog: catolicosomos.blogspot.com, esperamos por você lá! Todas as publicações serão aos poucos transferidas para o novo blog.

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Católico e Espírita?

Muito importante conhecer os motivos pelos quais não nos é permitido, como católicos, seguir o espiritismo. Segue um texto com os esclarecimentos, do prof Felipe Aquino.
Importante ressaltar o respeito que nós devemos ter com quem deseja seguir o espiritismo. O que não pode é um católico querer seguir os dois, por ser incompatível com nossa fé.
Abraços em Cristo
************

Prof. Felipe Aquino at 11:23 pm on Terça-feira, Julho 29, 2008

O Concílio Vaticano II chamou os leigos a participarem ativamente da vida da Igreja. Através do Decreto Apostolicam Actuositatem pede:

“Grassando na nossa época gravíssimos erros que ameaçam inverter profundamente a religião, este Concílio exorta de coração todos os leigos que assumam mais conscientemente suas responsabilidades na defesa dos princípios cristãos” (AA,6).

Em que pese a doutrina da Igreja, bem como a sua Tradição e o seu Magistério, mostrarem a radical incompatibilidade entre o cristianismo e o espiritismo, muitos “católicos”, fracos na fé e pouco conhecedores da doutrina, teimam em persistir neste sincretismo perigoso. Vão à missa e ao culto espírita, como se isto não fosse proibido pela fé católica. Respeitamos as pessoas espíritas, mas os católicos precisar saber o que a Igreja Católica ensina sobre o espiritismo.

É preciso ficar bem claro que o espiritismo contradiz “frontalmente” a doutrina católica em muitos pontos, sendo, portanto, impossível a um católico ser também espírita.

Em 1953, os Bispos do Brasil disseram que o espiritismo é o desvio doutrinário “mais perigoso” para o país, uma vez que “nega não apenas uma ou outra verdade da nossa fé, mas todas elas, tendo, no entanto, a cautela de dizer-se cristão, de modo a deixar, a católicos menos avisados, a impressão erradíssima de ser possível conciliar catolicismo com espiritismo” (Espiritismo, orientação para os católicos, D.Boaventura Kloppenburg, Ed. Loyola, 5ªed, 1995, pag.11).

Muitas passagens da Bíblia comprovam o que está dito acima. A principal delas é a que está no livro do Deuteronômio:
“Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha [magia negra], nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feitichismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou à evocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas…“ (Deutr 18,9-13).

O livro do Levítico traz a mesma condenação:“Não vos dirijais aos espíritas nem aos adivinhos: não os consulteis para que não sejais contaminados por eles” (Lev 19,31).

Repete a Palavra de Deus, pelo livro do Levítico:“Se alguém se dirigir aos espíritas ou aos adivinhos para fornicar com eles, voltarei o meu rosto contra esse homem…” (Lev 20,6).

O espiritismo nega pelo menos 40 verdades da fé cristã:
1 - Nega o mistério, e ensina que tudo pode ser compreendido e explicado. Isto não é verdade.
2 - Nega a inspiração divina da Bíblia.
3 - Nega o milagre.
4 - Nega a autoridade do Magistério da Igreja.
5 - Nega a infalibilidade do Papa.
6 - Nega a instituição divina da Igreja.
7 - Nega a suficiência da Revelação.
8 - Nega o mistério da Santíssima Trindade.
9 - Nega a existência de um Deus Pessoal e distinto do mundo.
10 - Nega a liberdade de Deus.
11 - Nega a criação a partir do nada.
12- Nega a criação da alma humana por Deus.
13 - Nega a criação do corpo humano.
14 - Nega a união substancial entre o corpo e a alma.
15 - Nega a espiritualidade da alma.
16 - Nega a unidade do gênero humano.
17 - Nega a existência dos anjos.
18 - Nega a existência dos demônios.
19 - Nega a divindade de Jesus.
20 - Nega os milagres de Cristo.
21 - Nega a humanidade de Cristo.
22 - Nega os dogmas de Nossa Senhora (Imaculada Conceição, Virgindade perpétua, Assunção, Maternidade divina).
23 - Nega nossa Redenção por Cristo (é o mais grave! ).
24 - Nega o pecado original.
25 - Nega a graça divina.
26 - Nega a possibilidade do perdão dos pecados.
27 - Nega o valor da vida contemplativa e ascética.
28 - Nega toda a doutrina cristã do sobrenatural.
29 - Nega o valor dos Sacramentos.
30 - Nega a eficácia redentora do Batismo.
31 - Nega a presença real de Cristo na Eucaristia.
32 - Nega o valor da Confissão.
33 - Nega a indissolubilidade do Matrimônio.
34 - Nega a unicidade da vida terrestre.
35 - Nega o juízo particular depois da morte.
36 - Nega a existência do Purgatório.
37 - Nega a existência do Céu.
38 - Nega a existência do Inferno.
39 - Nega a ressurreição da carne.
40 - Nega o juízo final.

Apesar de tudo isso muitos continuam a proclamar que “o espiritismo e o cristianismo são compatíveis…” Não é verdade; há uma oposição absoluta entre ambas as crenças.
Para o cristianismo a salvação se alcança pela morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, pela fé e pelos Sacramentos ministrados pela Igreja. Para o espiritismo isso não tem valor algum; a pessoa se salva pelas sucessivas reencarnações, que a Igreja ensina que não acontece. Ouçamos, finalmente, a palavra oficial da nossa Mãe Igreja, que tão bem nos ensina através do Catecismo:

“Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supõem “descobrir” o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia (leitura das mãos), a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão (bolas de cristais), o recurso a médiuns escondem uma vontade de poder sobre o tempo, sobre a história e finalmente sobre os homens, ao mesmo tempo que um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Estas práticas contradizem a honra e o respeito que, unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus” (§° 2116).

“O espiritismo implica frequentemente práticas de adivinhação ou de magia. Por isso a Igreja adverte os fiéis a evitá-lo” (§ 2117).

Conclusão: quem deseja ser espírita, que o seja, e seja respeitado, mas o católico não pode seguir essa crença.

Prof. Felipe Aquino – www.cleofas.com.br

Fonte: Blog Prof Felipe Aquino

Um comentário:

André disse...

Uma defesa da Doutrina Espírita diante dos principais argumentos dos seus detratores católicos e evangélicos. Não com a pretensão de convencer os que já estão convencidos de que estão com a verdade, mas para esclarecer os que têm dúvidas e municiar os espíritas com argumentos. Também servirá para aqueles que queiram conhecer a Doutrina Espírita sem preconceitos:

http://www.sitepalace.com/espiritismoehcristao/