Agora são Horas e Minutos - Este blog está sendo encerrado! Pesquise os temas que tiver interesse ainda aqui mas visite-nos no novo blog: catolicosomos.blogspot.com, esperamos por você lá! Todas as publicações serão aos poucos transferidas para o novo blog.

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Aborto e morte de crianças

E SE TIVESSE SIDO UM ABORTO?





No começo deste mês de abril de 2008 estava navegando na Internet, assistindo o vídeo "Silent Scream", apresentado pelo Dr. Bernard Nathanson, médico e ex-abortista que passou a lutar a favor da vida. Esse vídeo mostra um ultra-som ao vivo de um bebê sendo abortado, e revela que ele se move, tenta fugir do instrumento utilizado para quebrar e sugar as partes de seu corpo, e abre a boca como num grito de desespero. Fiquei um bom tempo refletindo sobre o sofrimento daquele pequeno ser humano.



Algum tempo depois decidi dar uma olhada nas notícias do dia, e me deparei com um caso horrendo: uma menina tinha caído de um prédio, supostamente atirada pelo pai ou pela madrasta. Imediatamente imaginei o sofrimento daquela pobre criança, e não pude deixar de lembrar-me do sofrimento daquele bebê abortado no vídeo do Dr. Nathanson. Uma pergunta começou a me incomodar: "Meu Deus, qual a diferença entre os dois casos?"



Isabella sofreu; o bebê abortado também sofreu. Isabella supostamente foi morta pelos seus responsáveis legais (na hipótese de se confirmarem as acusações); o bebê abortado também foi morto por aqueles que deveriam ser os primeiros responsáveis pelo seu bem estar. Isabella teve sua vida interrompida numa fase de desenvolvimento; o aborto é a interrupção deliberada do processo de desenvolvimento de um ser humano. Ou seja, de certo modo, caso se confirmem as denúncias, poderemos dizer que a menina teve sua vida "abortada". Isto é terrivelmente trágico, e merece toda comoção e atenção que está recebendo da sociedade. Mas por que cada um dos casos de aborto no Brasil não merece a mesma atenção?



De fato, o que causou indignação e espanto na sociedade no terrível caso do padecimento desta menina não foi o fato da morte de uma criança em si. Várias crianças morrem cotidianamente no Brasil, e isso não chama a atenção da grande imprensa. Nesse caso, creio, o que causou um verdadeiro clamor nacional foi a forte suspeita de que os assassinos foram o próprio pai ou a madrasta da criança.



Sabemos que o grande desejo de todos nós é que o autor da lamentável fatalidade seja punido, mas deixemos que a justiça faça seu trabalho e desvende a verdade. Não cabe a mim nem a ninguém especular sobre o que realmente aconteceu. Por outro lado, se as acusações contra os responsáveis legais da menina se confirmarem, ficaria me perguntando: "Em que isto diferiria de um aborto"?



Sabe-se que a maioria dos abortos é realizada quando o cérebro do feto já está em atividade (ele sente emoções!), e quando seu coração já está batendo. E se Isabella estivesse ainda na barriga de sua mãe, fosse abortada, e logo em seguida atirada pela janela? Será que causaria a mesma comoção nacional? Lembremo-nos que a menina que foi morta é a mesma Isabella que um dia esteve no ventre de sua mãe...



A verdade é que os valores da nossa sociedade estão invertidos de tal modo que os chamados "direitos reprodutivos" – que muitas vezes não passam de justificativa para a manutenção de comportamentos sexuais desenfreados, até mesmo imorais, e hoje em dia disseminados na sociedade – se tornaram mais importantes que a própria vida humana.



De fato, o ser humano tem impulsos sexuais, que são parte constituinte de sua psique. Porém eles não podem ser priorizados como bem maior a buscar, em detrimento de tudo o mais, inclusive da vida dos outros. Eles devem ser subordinados ao bem comum, podendo até mesmo serem tranqüilamente relegados a um plano secundário, em prol de um ideal de vida, como no caso do celibato dos religiosos.



Mas, para a mentalidade de hoje, negar a supostamente intangível e premente necessidade humana de ter relações sexuais parece ser algo tão execrável que não é sequer cogitado. E muitas vezes, o fruto destas relações (o filho), acaba sendo abortado, após um período difícil de escolha, que deixa marcas para o resto da vida nas mulheres que por ele passam. Um processo em que muitas vezes se decide, infelizmente, pelo mal maior: o fim da vida de um novo ser humano. E assim vai-se passando por cima da vida humana, não sem conseqüências deletérias.



Enquanto a sociedade continuar teimando em não enxergar a realidade do que é um aborto, crianças continuarão sendo vitimadas de maneira similar à pequena Isabella sem merecer sequer uma pequena notinha no jornalzinho do bairro...


*****


Para citar este artigo:
PINHEIRO, Daniel. Apostolado Veritatis Splendor: E SE TIVESSE SIDO UM ABORTO?. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/5063. Desde 8/18/2008.

2 comentários:

Nova Evangelização disse...

* * *
Caro Amigo João

Aqui estou, a fim de agradecer e retribuir a sua gentil visita.
O mesmo, da sua mensagem, digo a respeito do seu blogue e de si mesmo. Obrigado.

Infelizmente, contrariamente aos santos, nem sempre damos a atenção e o valor devidos a outrem, pois somos - eu pelo menos - demasiado egoístas e comodistas, inclusive em relação aos que pensam mais ou menos como nós, dentro dos mesmos valores éticos e morais, ou até mesmo cristãos...

Ainda a respeito do que digo acima, tenho notado, por vezes, que certas pessoas são demasiado ou injustamente 'críticas' - por vezes mesmo ofensivas/corrosivas! - em relação a certos cristãos/católicos 'conservadores' (não modernistas nem tradicionalistas), nomeadamente em relação ao 'RCC' (Renovamento Carismático Cristão), mais propriamente em relação à 'Canção Nova', e até mesmo relativamente à 'CEBB'...

Por isso mesmo, evito ao máximo frequentar tais ambientes, a fim de evitar aborrecimentos para mim e para tais (ir)responsáveis, o que nem sempre é possível, dadas as circunstâncias abrangentes, mais ou menos incontornáveis.
Mas faz-se (ou tenta-se fazer) o que se pode, com a graça de Deus.

Eu mesmo, por vezes, sou influenciado, tentado ou forçado, a fazer certas críticas, demasiado radicais, exageradas ou mesmo temerárias, sobretudo em relação aos chamados progressitas ou relativistas - que por vezes tanto me chocam, ainda muito mais que os tradicionlistas moderados, mormente pelo escândalo que proporcionam, sobretudo sendo clérigos (como parece ser a maioria, oxalá esteja enganado!).

Mas entre os modernitas fanáticos/rebeldes e os tradicionalistas radicais (os sedevacantistas e os dissidentes), "venha o diabo e escolha"...
Quanto a mim, tudo deveria ser feito, tanto quanto possível, em conta, peso e medida - tal como ensina o Magistério da Igreja - como acontece no seu blogue ('Ecclesiae Dei'), e como tento que aconteça no meu, ou melhor, neste nosso de evangelização ('N.E.C.').

A propósito, a tradução correcta de "Ecclesiae Dei" é, quanto a si: "A Igreja de Deus" ('Ecclesia Dei'), ou "Da Igreja de Deus"?
Segundo o paradigma 'rosa/rosae' - a rosa/da rosa; e tal como 'Deus' (Deus), 'Dei' (de Deus), 'Deo' (a Deus).
Sendo o primeiro caso, deveria ser, quanto a mim, 'Ecclesia Dei' (em vez e Ecclesae Dei), na medida em que o 'ae' latino é oblativo, isto é, traduz-se sempre pela prep. 'de', salvo erro.
Mas já há, salvo erro, um outro blogue chamado 'Ecclesia Dei'.
Desculpe o reparo, sobretudo se estiver enganado, pois considero-me pouco instruído.

Aceite os meus melhores, reconhecidos e respeitosos cumprimentos, em Jesus e por Maria.
J. Mariano

* * *
# Voltarei brevemente para ler melhor este seu último post, sobre o "abominável crime aborto".
Nunca é demais reproduzir e publicar artigos destes, pró-vida e anti-aborto.
# Se me permite, convido-o a "seguir" o blogue N.E.C., o que para mim será uma honra.
-

Mari disse...

Muito bom o texto.
O que narra é muito forte.
Pessoas que se deixam levar pelo mal e não lutam sermpre serão presas fáceis na mão do que não vale falar. Talvez o que esteja por trás de tudo isso seja a falta de amor e uma força do mal...
Que possamos não sucumbir e se caírmos, sejamos mais fortes em levantar.

Amigo, ajude-me a passar esta oração para frente?
Se gostar ou se identificar.

*****
Senhor Deus, do universo, que tudo criou, que fez as estrelas, os mares, as plantas, o vento, a luz, a verdade e justiça.
Hoje, agora é dia e momento de clamar pelo mundo, venha Senhor Deus, Pai, Filho, Espírito Santo, sobre nós, sobre nosso mundo, sobre nossos clamores, nossas vidas.
Voa num querubim, Senhor,"sobre as asas do vento" e vem cessar o que tenta-nos derrubar, cinge-nos de força, inunda-nos do seu espírito, fazei-nos fortes e vencedores.
Somos frágeis, somos seus filhos, Deus....proteja-nos com seu sangue, em vossas 5 chagas benditas, cubra-nos com o manto de Maria, e lavai-nos nas poderosas lágrimas de Sangue de Nossa Senhora, para que o mal não tenha força sobre nossas vidas. Vem destruir o que de ti não provém, abra o portal luminoso, retira-nos da escuridão,cinge-nos com vossa destra e força bendita, alimenta nossas almas,tenha compaixão e misericórdia.
Pelo mundo clamamos, Senhor, por nossos pedidos sonhamos.
O Senhor é pai, governa nossas vidas, desfaz com sua destra tudo que de ti não provenha, liberta nossas vidas de todo tipo de jugo, praga, maldição, pestes, doenças, segundo vossa vontade e nosso merecimento.
Assim, Senhor, protegidos, clamamos vosso sangue bendito e oferecemos todo nosso sofrimento passado, presente e futuro, bem como nossas alegrias, para a libertação das almas do purgatório, mais esquecidas, mais abandonadas, que sejam livres a cada milésimo de segundo, ad eternum.
E que a terra seja liberta de todo tipo de mal e maldades humanas e desumanas.
Por um mundo cristalino, Senhor!
Senhor, pertencemos a vossa ordem, somos seus filhos.
Fazemos menção ao vosso nome: Jesus Cristo.
Coloca seus anjos ao nosso redor,dá-nos a força necessária para fazermos jus aos nossos nomes de filhos.
Amém, Amém e Amém, em honra à Santíssima Trindade.
Com infinito amor e clamando seu poderio em nossas vidas, mari!
http;//oracaopura.blogspot.com