Agora são Horas e Minutos - Este blog está sendo encerrado! Pesquise os temas que tiver interesse ainda aqui mas visite-nos no novo blog: catolicosomos.blogspot.com, esperamos por você lá! Todas as publicações serão aos poucos transferidas para o novo blog.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Convicção e Autenticidade

Convicção e Autenticidade


Somos convictos de nossa fé, de nosso amor por Jesus? Ou falamos uma coisa e vivemos outra. Comecei a pensar nisso, após uma postagem da amiga Maria João em seu blog "Deus em tudo sempre", e encontrei esse texto que falava do mesmo assunto. Nós cristãos precisamos buscar essa autenticidade, e não simplesmente falar de Deus.


Boa leitura!



“Se fordes o que deveis ser, incendiareis o mundo inteiro...”


O que significa viver segundo suas próprias convicções e ser uma pessoa autêntica?
Disse, então, Jesus aos judeus que nele haviam crido: “Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. (Jo. 8, 31-32).


Vivemos, atualmente, em uma sociedade que perdeu o sentido da verdade objetiva. Esta deixou de ser um parâmetro para se tornar algo que cada pessoa pode manipular segundo seus próprios interesses. Tudo é relativo, não existem leis estáveis: “Eu pessoalmente não faria um aborto, mas se você acha que o aborto é o melhor para você, sem problemas”, “porque não deixar que os homossexuais se casem e tenham filhos? O que importa é a felicidade”, “eu adoraria casar na igreja, mas se não der, Deus vai entender...”, “não é pecado faltar à missa aos domingos quando não se está com vontade de ir, o importante é não ser uma pessoa hipócrita...”.


Fala-se muito de tolerância, como sendo um valor primordial, quando os princípios fundamentais do homem passam para um segundo plano. Acima da verdade estão os sentimentos, os estados de espírito, as paixões, os modismos, o desejo de ser aceito a qualquer custo, e por isto vendemos tudo, inclusive nós mesmos.


(...)

Este estilo de vida nos afasta do Evangelho porque Cristo é muito claro, Ele é exigente, não dá “tapinhas nas costas”. Jesus Cristo nos diz no Evangelho: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Ele nos diz que é o detentor da verdade, Ele é a Verdade e por esta razão, quem não a vive, está fora do Evangelho. Seguir Cristo implica em fazer uma opção pela verdade, crer em Cristo exige uma vida norteada pelo Evangelho.


No entanto, este estilo de vida “light” que parece nos deslumbrar, nunca nos trará a felicidade. Jesus Cristo, em contrapartida, nos mostra um caminho, que apesar de ser bastante exigente, é o único capaz de nos levar à autêntica felicidade. Quem conhece Cristo não pode deixar de amá-Lo, não pode deixar de ver toda a sua beleza e bondade, não pode ficar indiferente.

(...)


Deus se tornou para muitas pessoas uma espécie de recurso mágico. Caso precisem de algum consolo divino, ou quando se sentem impotentes perante um problema, elas se aproximam d’Ele, e ainda se atrevem a ficar chateados com Ele caso não recebam o que pediram; mas quando estão bem, se esquecem de que Deus existe. Porquê? Porque não o conhecem, porque não têm fé.
(...)

“Não tenhais medo! Abri, de par em par, as portas a Cristo! Não tenhais medo! Cristo sabe o que está dentro do homem. Só Ele o sabe!” Permiti, pois, eu vos peço, eu vos imploro com humildade e confiança – permiti que Cristo fale com o homem. “Apenas Ele tem palavras de vida, sim, de vida eterna.” (João Paulo II)

(
...)

Temos consciência de que a autenticidade na vida de uma pessoa arrebata e deixa uma marca permanente, indelével. A sua vida não é como a das outras pessoas: passageira e fugaz, ou seja, a vida de uma pessoa autêntica transcende, mas porquê? Porque uma pessoa autêntica tem um sentido na vida, e esta vida está sustentada por princípios sólidos e íntegros.
Por esta razão, uma vida autêntica finca suas raízes em convicções bem profundas.

(...)

Uma convicção é uma certeza de amor que se acredita e pela qual se opta livremente. Desta forma, as convicções: orientam, impulsionam, inspiram e sustentam a vida de acordo com a verdade revelada com Cristo e em Cristo através da Igreja.
Ter uma certeza absoluta significa conhecer algo em profundidade, com interesse, com segurança, a tal ponto que esta certeza se transforma em uma idéia própria à qual me incorporo... já não existe mais as minhas crenças de um lado e o meu modo de viver do outro. A certeza une crença e ação.


Mas, qual é o elo de ligação entre crença e ação? O amor, a diferença está no fato de que esta certeza é amada e por esta razão orienta tudo o que sou.


(...)

Texto retirado do Site Virgem Peregrina


Vivamos nossa vida de forma coerente!


Paz e bem.

Ecclesiae Dei

Para ler o texto na íntegra, clique aqui

Um comentário:

Claudia Pit disse...

Oi...
Vim agradecer a sua visita no meu blog em razão da blogagem coletiva sobre "pedofilia"!
Creio que a união é a forma mais 'rápida e certeira' de levar informação á diferentes pessoas.

Cláudia Pit